Paisagens do Nordeste: Memorial Patativa do Assaré

Memorial Patativa do Assaré



O Memorial Patativa do Assaré, fica no município de Assaré, Estado do Ceará, localiza-se a oeste da Chapada do Araripe, à 520 km de Fortaleza, a capital do Estado. A edificação onde hoje funciona o Memorial, foi construída no final do século XIX.

A Fundação Memorial Patativa do Assaré, foi fundada no dia 04/05/1993, quando artistas assareense resolveram criar uma entidade que viesse a preservar e valorizar a vida e a obra do poeta Patativa do Assaré. A entidade promovia eventos e cursos para os munícipes, no mesmo ano a entidade foi reconhecida de utilidade pública pelo poder executivo.

Foi quando em 1998 a entidade fechou uma parceria com o governo municipal e estadual para a comprar, reformar e instalar num sobrado do século XVII, um museu que expusesse a vida e a obra do filho mais ilustre da cidade, Patativa do Assaré. Em 05 de março de 1999 foi então inaugurado o Memorial Patativa do Assaré, que possuem mais de 1.200 peças no seu acervo.

No entanto o Memorial Patativa do Assaré não limita-se apenas entre as paredes do museu, com a ajuda do Ministério da Cultura o memorial Patativa do Assaré vem desenvolvendo atividades sócio – culturais em bairro em situação de vulnerabilidade com as seguintes ações: inclusão digital, oficinas de teatro, educação patrimonial, argila ponto cruz, crochê ,bordado e literatura de cordel e exibições cinematográficas.



Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré (Assaré, 5 de março de 1909 — Assaré, 8 de julho de 2002), foi um poeta popular, compositor, cantor e improvisador brasileiro.

Uma das principais figuras da música nordestina do século XX. Segundo filho de uma família pobre que vivia da agricultura de subsistência, cedo ficou cego do olho direito por causa de uma doença. Com a morte de seu pai, quando tinha oito anos de idade, passou a ajudar sua família no cultivo das terras. Aos doze anos, frequentava a escola local, em qual foi alfabetizado, por apenas alguns meses. A partir dessa época, começou a fazer repentes e a se apresentar em festas e ocasiões importantes. Por volta dos vinte anos recebeu o pseudônimo de Patativa, por ser sua poesia comparável à beleza do canto dessa ave.

Indo constantemente à Feira do Crato onde participava do programa da Rádio Araripe, declamando seus poemas. Numa destas ocasiões é ouvido por José Arraes de Alencar que, convencido de seu potencial, lhe dá o apoio e o incentivo para a publicação de seu primeiro livro, Inspiração Nordestina, de 1956. Obteve popularidade a nível nacional, possuindo diversas premiações, títulos e homenagens (tendo sido nomeado por cinco vezes Doutor Honoris Causa). No entanto, afirmava nunca ter buscado a fama, bem como nunca ter tido a intenção de fazer profissão de seus versos. Patativa nunca deixou de ser agricultor e de morar na mesma região onde se criou.

Ele próprio diferenciava seus versos feitos em linguagem culta daqueles em linguagem do dia a dia (denominada por ele de poesia "matuta").

Cidade: Assaré
Estado: Ceará

Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org
Paisagens do Nordeste - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...